Hoje em dia cresce muito a necessidade de traduzir documentos para outros idiomas. Com a facilidade da internet e de serviços eletrônicos de tradução, as opções de valores e serviços são bem variadas. No entanto, como garantir que o serviço que foi contratado é de qualidade?

Como são feitas as traduções eletrônicas?

As traduções eletrônicas costumam ser feitas através de um processo chamado de tradução estatística automática. Isso quer dizer que a tradução é baseada em padrões encontrados em grandes quantidades de textos. Em teoria isso funcionaria muito bem. Mas, se você já utilizou alguns desses serviços verá que muitas vezes o resultado é bem diferente do esperado. Qual o motivo? A mesma palavra pode ter diversos significados e a análise do padrão lhe dará a tradução mais comum – o que nem sempre é o significado no texto original. Por exemplo, em inglês a palavra feed é muito utilizada como um verbo: alimentar. No entanto, feed também pode ser um substantivo que pode se referir a ração, a hora de amamentação ou fertilizantes. O computador dificilmente consegue por meio de estatísticas analisar o contexto para traduzir corretamente.  Além disso, o computador também não sabe diferenciar expressões idiomáticas  e conotações de denotações. Em conclusão, as traduções eletrônicas funcionam bem para palavras e frases pequenas, porém são pouco úteis para textos longos ou técnicos.

O que um bom tradutor deve levar em conta?

Então nós passamos para o trabalho feito por tradutores. Obviamente, se imagina que um tradutor tenha um bom conhecimento de ambos os idiomas. Mas para uma boa tradução há mais envolvido do que somente saber o idioma alvo. Um bom tradutor faz mais do que só traduzir um texto – ele o transforma em um texto original em outro idioma.

O que isso quer dizer? Idiomas diferentes refletem maneiras de se comunicar diferentes. Dessa forma, pouquíssimos idiomas expressarão a mesma ideia da mesma forma. O tradutor deve entender cada ideia do texto e então decidir qual a melhor forma de transmiti-la no outro idioma. Nesse momento, diferentes fatores entram em questão. A título de exemplo, a questão do gênero textual. Podemos dizer que esses gêneros se referem as “convenções sociais” que definem como e qual linguagem é mais apropriada para cada tipo de interação. Cada gênero tem elementos que devem ser respeitados, tais como: uso de linguagem formal ou informal, jargões, layout, estruturas das frases e assim por diante.

Tendo então em mente o gênero, o tradutor deve pensar em qual a melhor forma de transmitir aquela ideia no novo idioma, respeitando o estilo de escrita do autor e o gênero no novo idioma. Isso exigirá reestruturar algumas frases e mudar a ordem de algumas ideias para que o texto faça sentido. Assim o texto se torna “original” no sentido que o leitor não perceberá que é um texto traduzido, mas o lerá com a mesma facilidade do que leria um texto escrito diretamente no seu próprio idioma.

Nosso trabalho de tradução e revisão leva em conta todos esses fatores. Para garantir um serviço de qualidade nos mantemos em contato com o autor e conversamos para garantir que todas as ideias do autor serão compreendidas no novo idioma do texto. Através de análise cuidadosa e um trabalho meticuloso garantimos um texto que seja facilmente compreendido e claro.

Última atualização: sexta, 27 Out 2017, 20:25